Metodo Chiorlin
 

III Coloquio Internacional Corpo e Cultura de Movimento e I Jornada Internacional de Biossistêmica

    voltar

 

Setembro de 2012 - Natal - Rio Grande do Norte

Corpo e Espiritualidade
De: Maria Vilma Chiorlin

Chacras são definidos como vórtices de energia sutil que existem em todos os seres humanos. O funcionamento inadequado deles compromete todo o organismo. A biossistêmica nos diz que os órgãos do tato, audição, paladar, olfato e visão representam a maior zona do cérebro. Isto é tão real que é representado no homem minúsculo, mas seus lábios e mãos são a maior parte do cérebro que se comunica com o corpo. Na relação entre o cérebro e os chacras temos: tato com o 1º chacra (básico), audição, paladar e olfato com o 5º chacra (garganta) e visão com o 6º chacra (frontal). Os chacras e a Neurociência em Biossistêmica, se integram desta forma: nos chacras básicos 1º, 2º e 3º localizam-se o Eu Inferior. Nos 4º, 5º, 6º e 7º chacras localiza-se o Eu Superior. O Eu Inferior está relacionado com as nossas dificuldades, conflitos e neuroses. É representado pelo hemisfério esquerdo do cérebro que é lógico, analítico, controlador. O Eu Superior está relacionado com a intuição, criatividade, essência. O hemisfério direito do cérebro é a nossa espiritualidade. Não podemos descartar o nosso sentir. Vivenciar e tomar contato com a nossa espiritualidade. Na Biossistêmica,sistemicamente, tudo está integrado. Poderemos viver no nosso corpo integrando os Eus Inferior e Superior, unindo-os com um corpo caloso que faz a ligação entre eles, integrando-os. A entrada excessiva de energia e de material psicológico está relacionado a cada chacra. São trazidos à consciência pelo significativo aumento do fluxo de energia. Cada um deles troca energia com o Campo de Energia Universal. Os chacras e pontos dos meridianos chineses são aberturas por onde entra e sai a energia da aura da pessoa. É a cristalização no mundo físico dos campos de energia que a cercam e fazem parte dela e trazem a tarefa de cada alma. A estrutura do indivíduo pode então,ser vista como a cristalização dos problemas em cada chacra respectivo. Reich descobriu uma energia que considerou universal (orgone). Estudou a relação entre os distúrbios do seu fluxo no corpo humano e as doenças psicológicas. Desenvolveu uma modalidade psicoterapêutica. Os anéis que apresenta, coincidem com os chacras. Pierrakos acrescentou aspectos espirituais e energéticos, e relacionou a função dos chacras com as estruturas de caráter. Cada chacra tem o seu lado sombra e seu lado luz, estabelecendo uma correlação com vários órgãos e com doenças físicas, emocionais e espirituais.

Palavras chaves – Corpo – Espiritualidade – Chacra.



ACESSE A VERSÃO EM PDF